Relatos de Viagens !!!!

Usando o Sunpass na Florida - por Sérgio Rocha

Publicado em 16/07/2017 às 16h39

Em Julho fomos para Orlando, porém pegamos um voo da Latam que desceu em Miami e fomos de carro até Orlando. Tivemos um gasto com pedágio de aproximadamente 51 dólares em 10 dias de viagem.
Já fazem uns 3 anos que compramos na CVS um aparelho do Sunpass, que custou 19.99 mais taxas, com cadastro rápido no site, necessitando apenas de um CEP e cartão de credito valido (não aceita Elo), podendo baixar um aplicativo próprio para Android ou IOS. E as recargas são feitas através desse aplicativo ou mesmo em totens localizados em postos de gasolina nas estradas.


Já foi emprestado duas vezes para outras pessoas que perderam o equipamento, foi só comprar um aparelho novo e fazer a substituição no site do Sunpass, que passou a funcionar automaticamente com o saldo anterior.
Não há cobrança de mensalidade e nenhuma taxa, então é possível comprar um para utilizar na viagem e utilizar posteriormente nas próximas viagens pela Florida e o saldo permanece lá, até a próxima utilização. 
É possível saber quando o saldo esta acabando, pois recebi um e-mail informando que estava com um saldo menor que 10 dólares, também tem opção de fazer recarga automática, através de uma programação onde, por exemplo, quando chega a 10 dólares de saldo ele já faz uma recarga automática (no cartão de crédito) de um valor de sua preferencia conforme estipulado, mas isso é opcional.
Toda vez que for alugar um carro é só atualizar no próprio software com os detalhes do carro alugado, como chapa, cor, modelo e período que estará com ele, pra evitar que se o equipamento do pedágio não registrar o Sunpass não gere multa para o carro.
Uma grande vantagem é que você pagando pelo Sunpass a tarifa é menor do que a paga em dinheiro (15% menos), então um pedágio de 1 dólar, virá cobrado 0.85 cents.


Anteriormente só havia usado o Sunpass em Orlando e rodovias que levam para cidades próximas. Dessa vez vi que pelas ruas de Miami tem somente uma estrutura metálica em cima das avenida, que não tem cabines e opções de pagamento de outra forma. 
Para aqueles que estão indo pela primeira vez ou não tem muita experiência em dirigir pelas estradas lá, recomento a utilização de um desse, mesmo que seja alugado pela locadora (com custo mais caro, em torno de 6 dólares por dia, pois tem muitos lugares que não aceitam nem dinheiro, nem moeda e nem com atendente.

Com o Sunpass é possivel passar pelas cabines do e-pass também.

Comentários (0) e Compartilhar

Orlando de ônibus !! por Rachel Esteves

Publicado em 25/10/2016 às 10h52

Eu fui para Orlando na minha primeira vez aos 21 anos com meu pai e minha madrasta. Longe de ser uma viagem com roteiro planejado, nós deixamos para escolher os parques que visitaríamos lá mesmo. Compramos os ingressos para 5 parques (os dois da Universal, Magic Kingdom, EPCOT e Busch Gardens) em Orlando e fomos na fé.

Apesar de corrido, e com acompanhantes relativamente mais velhos que eu, aproveitei muito a viagem e mal podia esperar a próxima oportunidade. E ela veio 4 anos depois, quando eu já estava casada e tinha então um marido e uma cunhada loucos para fazer essa viagem mágica.

Nosso maior desafio era escolher o hotel. Como nenhum de nós 3 dirigíamos na época, precisaríamos de um hotel que atendesse à algumas necessidades como: ponto de ônibus perto (que seria nosso principal meio de transporte), mercado perto (para não precisarmos pegar ônibus só para abastecer o frigobar), transporte gratuito para parques e micro-ondas no quarto. O que acabou atendendo todos esses requisitos foi o Rosen Inn at Pointe Orlando (que conheci através da página Orlando é um Barato}!). Pesquisei bastante e, além dele ter tudo o que nós precisávamos, ele também é bastante recomendado e as avaliações que li dele eram no mínimo, razoáveis.

Depois de escolhido o hotel, a data (tinha que ser no início de Março, pois iríamos encontrar duas amigas que estavam cursando o Ciência sem Fronteiras lá e encontrariam nós três lá) e os parques (os dois da Universal e os 4 da Disney) fomos atrás de uma agência de viagem para montar nosso pacote. Não tivemos muito o que pensar sobre ir de agência: eu e o Cadu (meu marido) não tínhamos cartão de crédito, de forma que a opção de pagamento em boleto era a única que servia.

O trajeto de ida foi Rio-São Paulo e São Paulo-Orlando. Preferimos ir direto para Orlando, já que não teríamos carro. A volta foi Orlando-Miami e Miami-Rio.

O voo chegou no horário previsto, às 7:40h. Pegamos um táxi e às 9:30h da manhã do dia 6 nós já estávamos com nossas malas dentro do nosso quarto do hotel. Deixamos as coisas lá e saímos para tomar café da manhã no Dennis que tem lá perto e depois fomos direto ao Visit Orlando, onde compramos nossos passes de 7 dias para usar no Lynx por 16 dólares cada.

Vale dizer que eu saí do Brasil com um roteiro todo programado, inclusive com os horários que os ônibus passariam em nosso hotel, pois existe um itinerário com os horários onde os ônibus passam em alguns pontos. A partir desses horários, eu calculei mais ou menos quando eles passariam no Rosen Inn e deu super certo.

Como a viagem era também presente de aniversário da minha cunhada, resolvemos leva-la de surpresa para tomar o café da manhã com a Alice, personagem Disney preferida dela. Já tinha marcado pela internet com antecedência e o café era no hotel da Disney, Grand Floridian. Essa foi a nossa primeira experiência pegando o ônibus. Primeiro era um que levava a gente até o Sea World e de lá um outro que nos deixou no Disney Springs (que era o Downtown Disney na época). Chegamos muito cedo lá, e estava um frio!! Mas vazio, foi ótimo! Aproveitamos para tirar algumas fotos que sabíamos que seria difícil tirar quando fosse mais tarde e tivesse mais gente. Mas o mais importante: eu achava que os pontos de ônibus dos ônibus da Disney e do Lynx eram no mesmo lugar! E não eram! Ficavam em lados opostos do Disney Springs. A sorte foi que chegamos cedo, e dava tempo pra gente se perder rsrs Ao chegar no ponto de ônibus dos ônibus da Disney, um motorista nos viu meio perdidos e nos chamou. Mostrei a ele nossa reserva de café da manhã e ele disse que nos deixaria no hotel. Entramos. Foi terrível. Nós passamos por vários hotéis da Disney, buscando e deixando passageiros, até que ele nos deixou no Magic Kingdom e nos mandou pegar o Monorail pro hotel, que também deu uma volta absurda! Minha cunhada, que não sabia o porquê da gente estar indo para aquele lugar específico, já estava zangada, querendo parar pra comer em qualquer lugar. Mas fiz uma força, dizendo que iria valer a pena. Enfim, chegamos com 15 min de antecedência e confirmamos nossa reserva. Recebemos um pager que não demorou muito para ser acionado.

O café da manhã foi caro demais, mas valeu a pena cada centavo. Os personagens são ótimos, a comida também, muito variada e gostosa. O serviço foi demais. Não tenho do que reclamar. Minha cunhada saiu de lá feliz da vida.

Aproveitamos que já estávamos no complexo Disney para ir ao Disney Springs trocar nossos vouchers pelos ingressos. Aí já foi tranquilo. Trocamos sem problemas, fizemos comprinhas e voltamos para o hotel e marcamos nosso transfer para a Universal para o dia seguinte.

- Dia de Harry Potter. A ideia era andar pelo Islands of Adventure e pelo Universal Studios, mas só na área de Harry Potter. Chegamos antes do parque abrir usando o shuttle gratuito do hotel. Primeira atração foi o Desafio do Dragão, montanha russa às 8:10 da manhã. Maravilhoso rsrs. Com o roteiro já todo esquematizado, conseguimos ir em todas as atrações sem enfrentar grandes filas, entramos em todas as lojas, inclusive no Olivaras para ver a varinha escolhendo alguém (no nosso foram duas senhoras, muito fofas!). Almoçamos no Caldeirão Furado, andamos no Expresso de Hagwarts nos dois sentidos, exploramos a Travessa do Tranco... Enfim, às 15:30h estávamos mortos de cansados e pegando o shuttle gratuito de volta para o hotel.

- Dia de Animal Kingdom. Já sabendo que os horários dos ônibus que eu calculei estavam certos, saímos mais confiantes de hotel e chegamos ao AK sem problemas. Já estava com os fastpass para todas as atrações que queríamos marcados, mas como o parque não estava muito cheio, acabou que não precisamos usar nenhum, conseguimos ir em todas as atrações, e algumas até repetimos.

Saímos do parque mais cedo, para passarmos no Walmart e no Outlet da Vineland e voltamos de táxi para o hotel. O que realmente lamentei mais tarde foi não ter conhecido o Uber antes. A corrida de táxi saiu cara, 40 dólares. Se eu soubesse do Uber na época, teria economizado mais esse dinheirinho.

Nesse dia as nossas duas amigas chegaram de carro para passar uns dias com a gente. Fui busca-las na recepção e elas entraram sem problemas. Elas levaram um colchão inflável, portanto, nem precisamos pagar uma cama extra.

- Dia de Magic Kingdom. Único dia que estávamos de carro, acordamos um pouco mais tarde, mas ainda acordamos cedo o suficiente para chegar cedinho no parque. Fomos de Ferry Boat para a entrada do parque e foi lindo demais!

Fui andando com o roteiro que já tinha preparado, adaptado para as necessidades do grupo. Começamos pela Tomorrowland e fomos andando em sentido anti-horário. Acrescentei as meninas à minha party para marcar os fastpass delas com os que já tinha marcado. Tive que mudar alguns horários, mas no fim, deu tudo certo. O ponto alto desse dia foi o almoço. Às 11:30h passamos em frente à entrada do Be Our Guest. Eu estava muito chateada por não ter conseguido fazer a reserva (não tinha cartão de crédito na época). Ainda assim, fomos tentar “seduzir” algum funcionário. Uma senhora bem simpática disse para ficarmos de olho no aplicativo e para voltarmos lá de tempos em tempos para ver se alguém tinha desistido pra dar vaga pra gente. Acabamos indo numa lojinha da Bela e a Fera que tem ali, compramos algumas coisinhas e voltamos para conversar com a senhorinha lá. Ela nos perguntou quantos éramos e se estávamos todos lá. Disse que sim, e ela nos deu cardápios, desejando um bom almoço. Quase morri, sem acreditar na nossa sorte! Escolhemos sanduíches com batata frita. Como não imaginei que iria conseguir comer ali, nem pesquisei sobre os pratos e ficamos com medo de pegar algo ruim. Mas acabou que os sanduíches eram enormes e muito gostosos. Dava até pra ter dividido com a minha cunhada, porque a porção é grande demais. Quase não comi as batatas. Ainda pedimos um Grey Stuff só pra fechar a refeição com chave de ouro!

De resto, o dia foi maravilhoso. O roteiro funcionou super bem! Conseguimos ir duas vezes na Splash Mountain e na Space Mountain. Antes de chegarmos no parque, eu fiz um trabalho psicológico com todo mundo, dizendo que não daria pra bater foto com personagens se a gente quisesse ir nas atrações. Mas acabou que conseguimos bater foto com bastante gente! Stich, Tiana, Rapunzel, Cinderela foram alguns que conseguimos nesse .

Só saímos do parque quando ele estava fechando.

- Dia de compras. Nos separamos das meninas, que foram ao Sea World, e fomos ao Florida Mall e ao Outlet da Int. Drive, com nossos cupons de descontos já impressos. Fomos também na Barnes & Noble (que insistem em dizer que fica no Florida Mall, mas não fica! Quase desistimos de encontrar). Aproveitamos para comprar outro passe para o Lynx, já que os que tínhamos só funcionariam por 7 dias. Quando voltei para o quarto do hotel, tinha uma mensagem na secretária eletrônica me avisando de que uma encomenda havia chegado para mim. Um amigo do meu irmão comprou um par de patins e me pediu para trazer para o Brasil para ele. Fui até a recepção com meu passaporte e o número de rastreamento do pacote. A funcionária foi muito simpática, conferiu se o pacote realmente havia disso entregue lá, conferiu meus dados com o passaporte e foi tudo ok. Paguei 10 dólares para retirar o pacote e pronto!

- Uma das meninas foi embora e ficamos em 4. Fomos de ônibus para o EPCOT. À essa altura, andar de ônibus em Orlando já era super tranquilo pra gente. Da mesma forma de quando fomos ao MK, fiz um trabalho psicológico com o pessoal dizendo que seria difícil encontrar personagens lá. Mas acabamos batendo foto com a Bela, Aurora, Mulan, Mickey, Minnie, Pateta e Margarida.

Conseguimos ir em todas as atrações que queríamos com a ajuda dos fastpass e ficamos com bastante tempo livre para beber muito Kuat na loja da Coca-Cola e procurar um local legal para assistir ao Illuminations.

Também foi o dia mais cansativo para voltar pra casa. Eu só me programei para ir aos parques, e não para voltar. À noite os ônibus passam com horário bem mais espaçado e acabamos esperando o segundo ônibus durante uns 45 minutos. Já estava tarde e estávamos mortos. Eu só não fiquei preocupada do ônibus não passar mais, pois tinham várias pessoas no ponto com a gente (inclusive americanos) esperando ônibus também. Juntamos nossas forças, e esperamos. O ônibus passou cheio, mas não lotado. Menos de 15 minutos depois já estávamos no hotel.

- Dia de Hollywood Studios. Como sempre, chegamos super cedo e com o fastpass também agendado para este dia, conseguimos ir na maioria das atrações. E repetimos a Rock ‘n’ Roller Coaster. Só não assistimos ao Light, Motors, Action! Nem fizemos força, na verdade, já que nenhum de nós estava especialmente animado para essa atração. Conseguimos comparecer ao Character Palooza que acontecia perto da saída da Tower of Terror. Lá batemos foto com a Pocahontas, Jasmine, Mulan, Donald e Gênio sem enfrentarmos fila alguma! Almoçamos no Pizza Planet só porque era isso ou eu nunca iria me perdoar por assistir Toy Story desde pequena e não satisfazer esse meu sonho de criança rsrs

Fechamos o dia assistindo ao Fantasmic! A única coisa que não gostei foi essa de que os melhores lugares são pagos. Não sabia disso na época (e não que eu fosse conseguir comprar né? Afinal, como já disse, não tinha cartão de crédito...).

Ah sim, logo quando chegamos no parque, lembramos que esquecemos de fechar o cofre (ele estava escancarado, na verdade) onde estavam guardados nosso dinheiro, ipad e o que tínhamos de valor no hotel, e não tínhamos colocado o aviso para a camareira não entrar no quarto. Guardei essa preocupação no fundo da mente para não atrapalhar o dia, mas ficamos bem ansiosos na volta para o hotel. E como estava o cofre na volta? Com a portinha encostada e com o conteúdo intacto. O resto do quarto foi arrumado conforme a camareira havia feito nos dias anteriores. Agradeci aos Céus (e ao Orlando é um Barato) por ter escolhido aquele hotel.

- Dia de Universal Studios e Islands of Adventure. As meninas foram embora e voltamos a ficar em 3. Como os dias anteriores foram muito corridos, chegamos mais tarde no parque nesse dia, por volta das 10:30h usando o shuttle gratuito. Como já tínhamos imaginado essa possibilidade, compramos o Express Pass no nosso hotel, o que dá uma entrada furando fila para cada atração, para dar tempo de visitarmos todas as atrações dos dois parques. Nesse dia compramos o refil da Coca Cola Freestyle que estava na promoção: comprando dois ganhava o terceiro. O que super valeu a pena, pois a média de preço por refil sairia o mesmo do que o outro que era mais barato, mas pagava 1,20 dólares a cada vez que tivesse que encher. Ou seja, pagamos o mesmo valor e não precisaríamos pagar mais nada para enchê-los. Almoçamos no Krusty Burger, carregando sempre nosso refil cheio. Fomos em quase todas as atrações que queríamos. Não conseguimos ir na Rock It, que teve algum problema e fechou para manutenção nesse dia =( Também não conseguimos ir na atração do Jurassic Park que também teve que fechar para manutenção nesse dia. O que eu queria morrer pois quase não conseguimos ir foi na do Homem-Aranha. Quando era a nossa vez (sim, era a nossa vez de entrar no carrinho) a atração parou do nada, e ninguém conseguia sair dos carrinhos. Os visitantes ficaram todos presos. Esperamos lá durante meia hora, e desistimos para visitar outras atrações. Quando já estávamos indo embora resolvemos passar por lá só por desencargo de consciência, e ela tinha voltado a funcionar e estava vazia. Corremos feito loucos e conseguimos ir. E estávamos molhados, depois de ir nas atrações que molham pra caramba do Islands of Adventure.

Pegamos um táxi que deu 20 dólares (mais uma vez, arrependida por não ter conhecido o Uber antes), pois por estarmos molhados, não queríamos correr o risco de ter que esperar o ônibus durante muito tempo.

- Dia de compras. Já sem muito dinheiro no bolso, depois de tantos dias em Orlando, aproveitamos para ir ao Mall at Milenia (de ônibus) comer o cheesecake da Cheesecake Factory. Valeu a pena, muito gostoso! Aproveitamos para dar mais uma volta no Florida Mall e no Outlet e voltamos pro hotel.

- Dia de volta para casa. Arrumamos nossas coisas e fizemos o check out sem nenhuma dificuldade. Para irmos ao aeroporto, pegamos um táxi (fico bolada cada vez que escrevo que peguei táxi! Uber na próxima!!).

 

Conclusão final? Valeu muito a pena ter ido. Claro que a movimentação pela cidade de ônibus é bem mais lenta que de carro. Mas nem por isso deixou de ser agradável: todos os ônibus têm ar-condicionado e em todos os trajetos conseguimos ir sentados. Para quem não tem carteira, como nós, acho que vale a pena sim, só vai dar um pouco mais de trabalho na hora de planejar levando em consideração os horários dos ônibus, mas no final, todo o trabalho é recompensado. E usamos táxi em poucas ocasiões, como na chegada, no dia que voltamos no Walmart e do Universal Studios e para ir ao aeroporto. Valeu a pena e já estamos programando a próxima viagem! Sem carro e táxi, mas com muito Uber rsrsrs

 



 

Comentários (0) e Compartilhar

Cheguei e já quero voltar!!! por Sarah Vedovelo

Publicado em 21/10/2016 às 15h50
 
 
 
Oi pessoal! Tenho alguns relatos da minha viagem, aqui estão eles: 
 
Voos. 1/9 Fomos em 7 pessoas, 3 voos diferentes. Azul direto de Cps. Delta com escala em Atlanta saindo de SP. AA com escala em Miami saindo de SP. Nenhuma queixa, nenhum atraso, nenhuma reclamação nem malas perdidas. 
 
Restaurantes. 2/9 Não tem dificuldade nenhuma p achar lugares bons p comer. Dennys, Olive Garden, Pollo Tropical, Uno Pizza, Angus Steak, Cheesecake Factory e Hard Rock estão aprovados. Tem vários desses restaurantes espalhados pela cidade e nos shoppings.
 
Parques e passeios.
3/9 Domingo:  chegada e compras.
Segunda:  Epcot e Disney Springs,
Terça e  Quarta:  Miami/NBA/compras.
Quinta:  Universal  e Islands of Adventure,  
Sexta: mortos e abortamos a Nasa pois estávamos mto cansados.
Sábado : Magic Kingdom.
Domingo :  volta.
Todos os ingressos comprados na bilheteria. Não fomos no Cirque e Nasa que estavam programados pois o cansaço era enorme.
Sugestão: 3 atrações  na  Internationa Drive:  tem o aquário, a roda gigante (a quinta maior do mundo) e o museu de cera.  Parece ser legal e mais barato.
 
 

Incidentes. 5/9 O primeiro  incidente foi que  uma pessoa do nosso grupo de 7, perdeu a carteira na best buy e fomos achar uma hora dps porem sem os 550 dólares  q estavam lá. Levaram os dólares  e deixaram os reais na carteira. Para ver nas cameras é preciso  a polícia  estar junto. Em meia hora chegaram, fazem o BO no local mesmo, super educados e nos pediram para aguardar 3 dias. Não teremos o dinheiro  de volta mas saberemos se foi cliente ou funcionário. O prazo termina segunda feira. O segundo foi na entrada da NBA em Miami. Compramos os ingressos pela Ticketmaster, mesmo apresentando comprovante  de pagamento  não constava p eles que a Ticketmaster tinha repassado. Tivemos quecomprar outros ingressos, mais caros, devido ao lugar para não perder a viagem e deixar para resolver isso quando chegarmos no Brasil A vontade que  da é  pedir reembolso dos dois valores pois eu tive que arcar com  o mais caro porque não tinha o mais barato,  sendo que eu já tinha pago antes. O telefone deles não funciona, nenhum atendente resolveu o problema.
 
Hotel. 6/9 Fiquei no Monumental Movieland. É difícil falar...coloquei o "no disturb" na porta todos os dias para não entrarem e  ficar mais segura. Trocavam as toalhas somente. Tem estacionamento e wifii. Nem vi  TV, não sei o que pega. As tomadas são horríveis, instalações velhas, lençóis e cobertas manchadas e furadas, achei duas baratinhas. Ar condiionado  desses no chão e super empoeirado. O atendimento deles é muito bom. O ingresso no hotel é muito mais barato mas tem que pegar os tkts em um Resort e ouví-los apresentando por uma hora. O ingresso de 220 cai para 150 cada um. É uma tentação mas não quisemos arriscar. O chuveiro é razoável, banheira antiga. Se for muito desencanado com isso eu indico, mas acho que  na ID qualquer outro estará bem localizado e pode ser melhorzinho. 
 
COMPRAS. 7/9 Fomos na Apple de Miami e tinha fila para o iPhone 7. Comprei o iPhone 6 SE e não precisei de fila. Fomos na Best Buy em Orlando e sem fila compramos o iPhone 7 relógio sem muvuca. Fica a dica. Macys, assustamos no início mas depois descobrimos uma ala de cada sessão com preços inacreditáveis de Tomm, CK,  R Laurent, M  Kors e outras. Para homens e meninos tem muuuuuito mais opções. Outlet premium com preços bons, bolsas Tommy por 70-100 dol, comprei uma por 20 pequena, outlets da adidas e nike são ótimos e melhores ainda na Idrive. Pointe: Realmente a melhor da Tommy, o estacionamento  é pago 4 dol e a loja abre as 10hs preços incríveis mas só tinha blusas fem xxl ou xp não dei sorte. Walgreens um paraíso na terra! Ficaria louca se tivesse uma assim no Brasil. Sou farmacêutica então quase fiquei louca com tanto medicamento disponível com embalagens que parecem doces! Walmart uma tentação também.  Para presentes comprei na walgreens e na gift shop que tem várias ao longo da ID. Um achado! Vale a pena! Comprei o lenço para limpar o fogão por 1 dolar na Dolar Tree, amei o lugar! Fui em 2 lojas da Ross, comprei malas, mala da Tommy, bolsas da Tommy, relógios, perfumes, mtas roupas! Vale a pena pois nos shop tem q garimpar bastante. Roupas Disney e Fantasias comprem no Walmart e Gift Shop. Na Ross comprei chocolates Lindt por 2,99 dol. O lugar mais barato! Fantasias de princesas por 24,99 dol na Walgreens.
 
Furacão. 8/9 ONDE??????? Gente não vi absolutamente nada! Ou não foi grave ou eles arrumaram tudo na calada da noite. Nem em Miami nem em Orlando, não vimos nada destelhado, nada caído, nada quebrado, nenhuma árvore caída, barco tombado, nada, prateleiras cheias, sem filas no supermercado, mto sol, calor e acho q chovia a noite pq eu via algumas ruas molhadas, só! Não aconteceu nada graças a Deus!
 
 
Considerações finais. 9/9 Achei exagero quando  li que o pessoal leva a mala nos shoppings  para não carregar sacolas mas o povo faz isso mesmo! Kkk. Não achei a forma de bolo do mickey na Bed bath comprei na loja da Disney mesmo, paguei caro mas eu queria mto 17,50 dol. Tudo lindo, arborizado, floridos, jardins na cidade toda impecáveis, sem lixo na rua, limpo, organizado, banheiros limpos, até quando tem fila o povo é educado e não reclama. O carro básico deles é o nosso top top aí no Brasil. Perfeito, um sonho de lugar, não quero mais ir embora. Pena que para o Brasil ser assim teria que construir tudo de novo umas 20 vezes. Privilegiados aqueles que podem conhecer outra cultura e procuram construir um país melhor para vivermos e deixarmos para os nossos filhos. Já quero voltar!!  Abraços!
 
 

 

Comentários (0) e Compartilhar

Disneyland California, por Mauber Bandeira

Publicado por Mauber Bandeira em 06/06/2016 às 19h58

Gostei muito da Disneyland e do Disney Califórnia Adventure. Mas WDW continua sendo imbatível.

Vou começar pelo hotel que escolhi:
Castle Inn & Suites. Bem perto da Disneyland. Perto mesmo. 2 quarteirões e meio do hotel até a entrada do parque. Fui e voltei a pé os dois dias. (Economizando o estacionamento lá na Disney, que, se não me engano, é 20 dólares).

A diária para 2 adultos e 2 crianças saiu por R$ 434,00 já com as taxas. (preço promocional do site hoteis. com) Preço mais salgado que em Orlando, mas a maioria dos hotéis na região tem preços altos mesmo. E os hotéis dentro da Disney então, são caríssimos (para meu padrão). Só as diárias eram superiores a mil reais. 

O quarto de bom tamanho, silencioso, tinha frigobar e microondas, banheira e kit de amenidades simples. No hotel tinha uma piscininha aquecida (e duas hidros pequenas), cofre na recepção, elevador (muito útil pois fiquei no 4.º andar), funcionários cordiais, estacionamento amplo e limpeza ok. E receberam minhas encomendas da Amazon (que chegaram no dia anterior) sem cobrança de taxas. 

Próximo ao hotel tinha boas opções de lanches que eram acessíveis a pé, tipo MC Donald´s, IHOP Bubba Gump, Subway, Denny´s, Cheesecake Factory, etc. Fui apenas no 7-Eleven e comi Hot Dog com um copo de +-700 ml de refri por 2 dólares. 2 fatias de pizza com um copo de +-1 litro de refri estava a 3 dólares. O Hot Dog estava bom já a pizza era mais ou menos (ninguém aqui gostou). Tinha ainda uma farmácia CVS nas proximidades. 

Fui a dois shoppings próximos ao hotel (+- 10 minutos de carro). Todos com poucas lojas, mas ambos tinham Walmart e Ross. No Buena Park Downtown tinha mais lojas, porem no Anaheim Plaza tinha a Party City e Forever XXI. (preços mais caros que os outlets Orlando, além do imposto na Califórnia ser maior). Não valem a pena para grandes compras.

 

Vou falar um pouco dos parques: A área lá é bem menor que WDW. A Disneyland já completou 60 anos e foi o primeiro parque da rede. Vale conhecer pela história. Quem gosta de Disney vai gostar do lugar. Dá pra ver que o MK foi feito "inspirado" na Disneyland pois algumas áreas temáticas são bem semelhantes. 

Fica localizado em Anaheim, nos arredores de Los Angeles - Califórnia. Recomendo quem for ficar hospedado nas proximidades. O "complexo" tem 2 parques (Disneyland e Califórnia Adventure) e uma Downtown Disney. Já adianto que não recomendo fazer os 2 parques no mesmo dia. Eu recomendaria o ingresso de 3 dias hopper, para aproveitar bem. Os parques tem mapas em português e "pouquíssimos" cast members falando nossa língua. 

A Disneyland tem muita coisa em comum com o MK (E muitas diferentes também). As atrações diferentes que mais gostamos foram: 
1) Finding Nemo submarine voyage: É uma passeio dentro de um submarino, onde cenas do desenho do Nemo se misturam com a paisagem subaquática. 

2) Indiana Jones Adventure: Ride com cenários inspirados nos filmes antigos do Indiana Jones. 

3) Matterhorn Bobsleds é uma montanha russa que lembra um pouco a Everest, inclusive com um Yeti lá também. Mas só lembra mesmo, pois o traçado (e as emoções) são bem diferentes. 

4) Mickey's Toontown : Esse não tem mais em Orlando. É a "cidade do Mickey" com a casinha dele e de outros personagens. Lá também tem uma pequena montanha russa e o brinquedo do Roger Rabbit. As crianças menores adoram. 

5) O "pequeno" castelo da Bela Adormecida. Lá podemos passear no interior do castelo e ver diversos painéis com imagens dessa animação. 

6) Snow White's Scary Adventures: Posso definir como um "trem fantasma" da Branca de Neve, com imagens dos personagens do desenho, e a parte final "um pouco mais assustadora" com a Rainha Má/bruxa. 

Tomamos o café com a Minie e outros personagens no Plaza Inn (32 dólares o adulto + Taxas e Tips). Estava bom, principalmente os waffles. 

Lanchamos na pizzaria da Margarida (Daisy's Diner) e a pizza é a padrão da Disney mesmo (queijo e pepperoni). E não podia faltar o picolé do Mickey (na Clarabelle's). 

A área da Tomorrowland foi "invadida" pelo Star Wars. Tem o encontro com Kylo Ren, Chewbacca e Stormtroopers. E a hyperspace mountain vem com tema e imagens da saga.

Dos personagens diferentes que encontramos lá, gostamos dos vilões Gancho, Cruela Devil e Rainha Má.

O outro parque; Califórnia Adventure: Fica bem em frente a Disneyland, com algumas atrações semelhantes as de Orlando, tipo Soarin, Hollywood Tower, Toy Story Midway mania, It's Tough to be a Bug! 

Das atrações diferentes as melhores foram:

1) California screamin: montanha russa muito boa (com loop). Bem diferente das de Orlando. Aliás, o Paradise pier é lindo. 

2) Mickey's Fun Wheel: Uma roda gigante tradicional, mas com "mais emoção" pra quem quiser ir nas "gaiolas" do meio.

3) A Car´s Land está perfeita. Muito legal e com o Radiator Springs Racers (o carrinho de 6 lugares lembra um pouco o Test Track do Epcot). Você faz um passeio por Radiator Springs e depois participa de um racha com outro carrinho pelo deserto. Tem ainda 2 brinquedos para os menores, que são Luigi's rollickin roadsters (carrinhos que bailam) e Mater's junkyard jamboree (com os tratores caipiras). 

4) Grizzly River Run. Para quem gosta de brinquedos que molham . Lembra um pouco a Kali River rapids do AK.

5) Monsters, Inc. Mike & Sulley to the Rescue! Aqui temos o "trem fantasma" da Monstros S.A. passando por Monstropolis. 

Encontro com Elsa Anna e Olaf: Diferente do MK, aqui ficamos numa área coberta e na fila passam alguns clipes de animações da Disney. É uma fila só para os 3. 

Encontro com o coelho Oswald. (Oi, quem?) É um personagem mais antigo que o próprio Mickey (primeira animação dele é de 1927). 

Lá tem também encontro com super heróis (Vi o Capitão América e o Homem Aranha). 

Almocei no Ariel´s Grotto. (Red Oak-smoked Honey-Whiskey Barbecue Tri-Tip) estava muito bom. A sobremesa também estava gostosa. E o refri é free refil. 

E de tarde consegui minha pia do Oswald (que é igual a do Mickey). Lá só é vendida na Clarabelle's Hand Scooped Ice Cream do Califórnia Adventure.

 

 

 

Categoria: Relatos de Viagem
Comentários (0) e Compartilhar

Crayola Experience - por Flavia Do Coutto

Publicado em 25/05/2016 às 16h38

 

O que falar do Crayola Experience... Sensacional !!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois de curtir todo mundo Disney, resolvemos ir ao FloridaMall para conhecer o tão Famoso Crayola. A loja é super transada, com tudo que você imaginar com a marca.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


E além da loja com todos os itens, temos a o Crayola Experience.  Você terá 3 andares com muita diversão. Meu filho pode fazer o seu próprio desenho com sua foto para colorir, fez bonequinhos 3D com o giz de cera, mandala com o giz de cera derretido, giz de cera com seu nome, enfim, ele amou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O preço normal da entrada é US$ 22.99, mas comprando pelo site você terá US$ 4 dólares de desconto!!

https://tickets.visitcrayolaorlando.com/webstore/shop/viewitems.aspx?CG=TKTS&C=ADM&_ga=1.165116860.2050064301.1464204091

 

Super diferente do que ele já tinha visto. Os adolescentes não vão curtir muito, mas os pequenos adoram!!!!!!

 

 

 

Comentários (0) e Compartilhar

Cruzeiro da Disney - Uma Maravilha - por Flavia do Coutto - Relato II

Publicado em 26/01/2016 às 16h40
 
 
 
 
O que fazer depois de assistir às peças e depois que jantarmos? -  Parte 6 
 
Voltar para a cabine e dormir??? Nãooooo, a festa continua. Toda noite uma novidade, sempre com a presença de muitos personagens e muita alegria. Não existe tempo para ficar triste!!!
 
 
Show dos Piratas - Parte 7
No penúltimo dia, depois da peça de teatro e do segundo jantar, tivemos uma festa temática dos piratas. Todos que já foram anteriormente aí Cruzeiro, já levaram suas fantasias e adereços. Dos adultos aos bebezinhos todos caracterizados. Me senti, no barco do Capitão Gancho e no filme do Jack Sparrow. Tinha pirata por todos os Lados. Cada fantasia mais legal do que a outra. Tivemos uma peça sobre um duelo dos Pesonagens bons contra os personagens maus!!! Depois o DJ não deixou a galera parar, levou animação até a peça final do Jack Sparrow. Foi realmente sensacional!!!! E finaliza essa peça, com os fogos de artifício. Foram 10 minutos de fogos. Me senti no Magic Kingdom.
 
 
 
Lojinhas - Parte 8
Será que vou encontrar alguma lojinha dentro do navio???? Sim, tem várias lojas com os produtos Disney, com bonecos do navio. Produtos Pandora com pingentes exclusivos do navio
 
 
.Conhecendo Castway Cay, a ilha da Disney. - Parte 9
Um paraíso perdido no mar de Bahamas. Lindo!!!! Logo que chegamos fomos recepcionados pelo Jack Sparrow. E depois mais personagens todos caracterizados com o tema Piratas. Logo na primeira praia temos a opção de alugar Jetski, pedalinhos, caiaques, bicicletas náuticas. Tb podemos alimentar as raias, que ficam num aquário natural, onde as raias ficam juntas com as pessoas. Na segunda praia é a do toboágua . Meu filho se esbaldou!!!! Água cristalina!!!! E tem uma praia mais distante, que a praia onde só Maiores de 18 anos podem ir. Não Que tenha alguma coisa proibida, mas pelo Fato de quem quiser um silêncio, curtir um sol sem ter que se preocupar com criança. Ela como fica mais distante, tem um trenzinho que faz o transporte até o local. Na ilha temos dois restaurantes onde é servido churrasco, sanduíches, sorvetes, tudo Incluído. Foi um dia muito legal , onde pudemos conhecer mais um cantinho do Mundo Disney.
 
O mais importante é que ainda na ilha, temos o tão famoso clubinho, com todas as atrações feitas no espaço Praia, e com a tranquilidade de ter recreadores o tempo inteiro com as crianças. Podemos levar para a ilha o telefone que eles tb fazem contato conosco caso a criança não queira mais ficar ali Com eles. O interessante, é que quando você deixa seu filho, o telefone não toca nunca, Pq as crianças brincam tanto e se divertem tanto que não querem sair.
 Um detalhe que me chamou muita atenção, foi uma preocupação que muitas mães que tem seus filhos com alergia devem falar. Fazer um cruzeiro, com paradas numa ilha???? Coisa de maluco!!!! Meu filho É alérgico, vai que ele tenha uma crise, como vou fazer!!!!! Mas a Disney, já pensando nessa hipótese disponibiliza na ilha, uma central médica e que tem ainda a Caneta Epipen. Quem tem filhos com alergias cutâneas, que tem alergias de insetos, e que tem que correr para o Hospital o mais rápido possível, já podem começar a pensar em fazer o cruzeiro. A Disney pensou em tudo e  em todos. Eu fiquei pasma qdo vi que tinha essa caneta. Meu filho tb tem alergias respiratórias e isso era uma coisa que sempre me martelava a cabeça, mas depois que eu vi o aparato Que eles disponibilizam, eu realmente fiquei super tranquila e achei muito Importante compartilhar com vcs.
 
Curtindo algumas atividades antes do jantar.- Parte 10  
O lema é não Parar.... Meu filho tem uma energia que dá gosto. Ele acaba de sair de uma atividade já engata na outra. Haja fôlego!!!!
 
 
Um dia de detetive. - Parte 11 
Dentro do navio, existem alguns pontos onde tem um totem onde você vai cadastrar um código, vai seguir umas instruções e vai pegar a sua Missão. Você terá que descobrir o culpado . Você será o detetive. Receberá várias dicas que serão fornecidas passo a passo. Em cada quadro interativo você vai receber uma missão é assim até o Final ,onde você terá que desvendar o Mistério. As crianças ficam loucas, correndo de uma lado para o outros, até que consigam fechar a sua missão. Missão dada missão cumprida!!!! Partiu, correr pelo Navio Inteiro procurando as pistas. Impressionante como eles fazem de cada detalhe atividades maravilhosas. Um simples quadro numa parede, se transforma num filme onde ali você terá a sua dica.
 
Bem, acho que devo ter conseguido passar para vcs um pouquinho do que curtimos No navio da Disney. A diversão, a hospitalidade e o conforto são os pontos principais deles. Uma certeza eu tive, esse foi o primeiro de muitos outros Cruzeiro que irei fazer!!!!!!!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Comentários (0) e Compartilhar

Cruzeiro da Disney - Uma Maravilha - por Flavia do Coutto - Relato I

Publicado em 26/01/2016 às 14h55
 
 
 
Chegando no Cruzeiro Disney Dream -  Parte 1 
"Já fiz outros Cruzeiro, mas realmente me surpreendi com o tão esperado Cruzeiro da Disney. A recepção no check In foi com toda organização e simpatia que já estamos acostumados com o Padrão Disney. Logo na entrada, todas as crianças já são identificadas com a pulseirinha que será muito útil para todos, isso será um tópico que irei contar. Ali estava apenas começando quatro dias maravilhosos!!!!!!
 
Fomos conhecer as instalações. Já começamos a ver o quão divertido seria. Logo na partida tivemos um showzinho de boas vindas. Fantástico é super animado. Os personagens interagem literalmente com as crianças.
Em seguida fomos almoçar. Diga-se por sinal que foi muito gostoso.
 
 
Clubinho - Parte 2
 
O clubinho é realmente um fator muito diferenciado nesse navio. Primeiro momento começou quando a criança é identificada na entrada com uma pulseirinha com chip. No quarto eles disponibilizam dois telefones os quais qdo deixamos as crianças no clubinho eles irão nos chamar caso eles queiram sair ou caso aconteça alguma coisa. São tantas brincadeiras que qdo deixamos eles podemos nos divertir. Quando retornamos para buscá-los, eles te dizem exatamente o local que seu filho se encontra pois a pulseirinha identifica o local. E ainda por segurança de nossos filhos ainda tem uma palavra chave que temos que falar para poder retirar do clubinho. Meu filho amou. Ele já chegava dos passeios avisando que iria se arrumar e já corria para brincar. Teve animação de todos os personagens, Star Wars, Treinamento Jedi, video-games, e a pilotar a tão sonhada nave Milenium Falcon!!!
 
 
 
Curtindo a piscina e o toboágua!!!- Parte 3
 
Animação não faltou em todos os momentos. O toboágua que toda o navio foi o ápice da piscina. A água está muito gelada, mas com a euforia meu filho nem sentiu frio, kkkk Tem tb a piscina aquecida, tb podemos curtir um pouquinho!!!!
 
 
 
 
O primeiro jantar. - Parte 4
Restaurante maravilhoso. Animators Palate, restaurante interativo. A tartaruga fica conversando  pela telas. Super divertido , as crianças amam!!!!
 
 
Os shows!!!! - Parte 5 
 
Estilo Broadway!!!! Na primeira noite foi um musical, relembrando todos Os filmes e desenhos que ganharam prêmios.
No segundo dia, foi sobre os violões da Disney. As caracterizações são impecáveis. Como sempre Disney é Disney.
No terceiro dia foi a peça Believe. Onde retratava que temos que acreditar no nosso sonho. Como dizia Walt Disney, se você pode sonhar, você pode fazer acontecer!!!!!
E no último dia, tivemos um show fantástico de ilusionismo. Aplaudido de pé!!!!! Não tenho fotos, Pq não é permitido fotografar nem filmar as peças...que peninha!!!!
 
 
Este é  só primeiro relato... não deixem de ler o segundo... que vem muita coisa legal ainda!!!!!
 
 
 
 
 
 
 
Comentários (0) e Compartilhar

Dicas incríveis de planejamento - por Thais B.M. Diniz

Publicado em 15/01/2016 às 16h01

 

Oi, pessoal! Voltei a ficar ativa no grupo para não me fazer desanimar com a alta do dólar :((((((((((((((((((((((((((((((((((( Com cada doleta valendo mais de 4 reais, acho que toda dica é válida, para OTIMIZAR gastos e ECONOMIZAR custos. Vou falar sobre práticas que meu marido e eu temos, e que servem muito para nós. Se puder ajudar alguém, ótimo! PESQUISAR, PESQUISAR,PESQUISAR.

Cupom de desconto - para TUDO tem cupom de desconto, gente. Tudo mesmo. Busquem antes e se familiarizem antes. Para setembro agora reservei carro usando um cupom de desconto para os seguros, tenho o Snip Snap no celular e fico salvando e vendo como usar e combinar os cupons. FUNCIONA e MUITO. E não é "mico". Cupom é super utilizado no USA e sempre é vantagem.

COMIDA - Sempre vamos ao Wall Mart e abastecemos o hotel como fazemos em casa: iogurte, frutas, sucrilho, leite, frios. Levo pro parque um sanduba que preparo de véspera (normalmente umas baguetes super recheadas com rosbife , frios e salada para dar sustância), curto uns Wraps que tem lá , umas saladas prontas que custam dois dólares, se for Disney levo gatorade na mochila, se for Universal, sempre compramos o refil. No parque acabo consumindo algo que tenho vontade: turkey leg (SEMPRE), um fish and chips , ou um frango empanado, ou um hotdog do caseys...mas por que tivemos vontade e não por que estávamos com fome. Não achamos a comida do parque nada demais, então optamos por levar coisas que gostamos e nos alimentam e lá complementar ou não, se quiser. Claro que temos nossas comidas preferidas: eu amo turkey leg, meu marido adora o funnel cake e o Pineaple Float, vire a mexe experimentamos quitutes, mas não gastamos 60, 70 dólares em alimentação no parque por que NÓS ACHAMOS que não vale a pena. Já fomos a almoço com princesas, em jantar com personagens...mas em épocas de dólar nas alturas, repetiremos isso em outro momento! Quando a programação é parque, tomamos um bom café no hotel mesmo, levamos a mochila com o almoço e lanche e jantamos em restaurante. Nossa, mas restaurante? Sim, e essa é a próxima dica.

 

 

 

 

 

 

 

Tem MUITO lugar bom de comer em Orlando. Vou falar dos que eu conheço, já fui e aprovado, e acho que valem a pena, ok? De novo, bom para nós, em nossa opinião, em dois viajando:

Olive Garden: Sempre digo que não vou naquele ano e acabo indo. Dividimos por que os pratos são enormes. Cupom em mil lugares, só buscar on line e se cadastrar no site.

Cheddars Scratch Kitchen - pratos grandes e fartos e carne excelente. Média de preço de 10 a 20 dólares. Comemos lá e a conta sempre fica entre 25 e 30 dólares.

Golden Corral - um buffet muito digno , que se almoça durante a semana por 8 dólares e pouco. Tem tudo que é tipo de comida, carne inclusive (carne é muito importante pra mim, por isso busco restaurantes em que sirvam bons bifes e bons filés), sobremesas e bebidas.

Smokey bones - pratos grandes e fartos e carne excelente. Média de preço de 10 a 20 dólares. Prato altamente "dividível".

Chick Fill A - Adoro frango empanado, essa rede tem frangos delicia, tem acompanhamentos, não tem a TIP por que é estilo fast food (embora tenha comida, você pega no balcão) e come-se bem por incrivelmente pouco.

Pollo Tropical - Comida cubana, mas com o estilo que conhecemos: arroz, feijao, frango, carne. Não tem a TIP por que é estilo fast food (embora tenha comida, você pega no balcão) e come-se bem por incrivelmente pouco.

ARBYS - Sanduba de carne, do jeito que eu gosto: pão e filé! Uma janta ótima, menos de 20 dólares também pra dois comerem muito bem.

Logans RoadHouse - pratos grandes e fartos e carne excelente.

Ihop - acabamos indo pelo menos uma vez tomar um café da manhã típico americano, mas vamos por que curtimos mesmo.

 

As franquias de sempre : B. King, Five guys, Dennys, Wendys, KFC, Shake Shack... LEMBRANDO QUE TODOS ESSES RESTAURANTES TEM COMO CADASTRAR NO SITE DELES E RECEBER CUPOM E VANTAGENS. E TAMBÉM SÓ PROCURAR NA INTERNET E SEMPRE TEM CUPOM. Outra dica que funciona e MUITO é olhar no trip advisor: Todos esses restaurantes antes de ir eu dei uma olhada lá, no que as pessoas falaram e nas fotos que postaram: Assim pude ver que praticamente todos esses restaurantes acima o prato é enorme , e normalmente pedimos um prato e algum acompanhamento a mais e dividirmos. Mas isso por que olhei antes no Trip.

GPS - Baixamos o HERE e é incrivel . Uso o trip advisor também toda hora para pegar os endereços dos lugares mais próximos que quero ir e funciona perfeitamente. Antes de viajar, formato o ihpone, coloco as fotos na nuvem e deixo os Apps que mais vou usar. Compramos sempre UM chip daqueles de mercado da T mobile de 30 dolares com internet infinita. Hotel fiquei zapeando o booking e fazendo reserva quando tinha alguma taxa atrativa (lembra de olhar os que tem reserva com cancelamento grátis, para não levar susto. Ja tive problemas de faturamento pelas redes e o booking intermediou muito bem, só tenho elogios pro Booking: já ficamos no Econolodge, Travelodge, Super 8 (tudo na Idrive) e agora ficaremos no Season Florida em Kissimmee. Lembrando que hotel bom, para nós, tem microondas no quarto, toalhas limpas todo dia, cofre e segurança. Não precisamos de luxo, e sim de segurança, limpeza, cama confortável e agua quente. E esses hotéis atendem muito bem.

Ingressos - comprei ano passado na decolar, por que achei o melhor preço e dividi em 10 sem juros. Paguei e nem senti, e agora já estão quitados. Acho que a melhor maneira de fazer nosso dinheiro suado render é se planejar. Não passo vontade, sabe? Como o que fico afim, faço o que quero fazer, mas otimizo os gastos , procuro cupom, traço estratégias para poder aproveitar sem me aborrecer ou passar vontade. Parece CHATO fazer, mas como sempre tem um ano e pouco entre uma viagem e outra é a maneira de ir se distraindo e vivendo um pouco a magia da viagem.

Desculpe o post enorme, mas gosto muito de ler o depoimento dos outros detalhado....então quem quiser, vai poder aproveitar...rsrs

Comentários (4) e Compartilhar

Disneyland Paris - por Anderson Pedreira

Publicado em 13/11/2015 às 08h25

 

Olá, pessoal!

Como prometido às nossas amigas Nely Rezende e Fernanda Ragazzi, hoje vou falar um pouco sobre nossa visita à Disneyland Paris, ocorrida na última semana de julho.

A Disney Paris não fica exatamente em Paris, mas sim em Marne-la-Vallée, uma cidade localizada a 32 km do centro de Paris. É composta por dois parques apenas: o Disneyland Park e o Walt Disney Studios. Tem, ainda, uma área chamada de Disney Village, que é o Downtown Disney de lá. Todas as três áreas ficam bem juntas e não há necessidade de carro para se deslocar de uma para outra.

O fato da Disney Paris estar afastada da cidade já leva a pensar em duas coisas: vale a pena perder 1 dia em Paris para visitar a Disney? Como chegar lá?

Por só termos 5 dias em Paris, perder 1 dia inteiro seria uma decisão importante para aproveitarmos bem o tempo disponível. Enquanto eu fazia muitas pesquisas e lia diversos sites especializados, minha filha, apoiada pela mãe, virou para mim e disse: “pai, nós vamos à Disney Paris! Está decidido!” Só me restou escolher, quase chorando, quais programas iríamos deixar de fazer em Paris...

Já que estava decidido que iríamos, fui correr atrás dos ingressos. Para quem só vai passar 1 dia na Disney Paris, acho que a melhor opção é comprar o “1 Day - 2 Parks”. Dá tranquilamente para visitar os dois parques em apenas 1 dia! Só tem que se organizar, chegar na hora em que os parques estiverem abrindo (10 horas), saber usar o Fast Pass, que lá ainda é no sistema antigo, de papel, com horário de retorno, e, finalmente, ir embora quando estiver fechando. Não é o mesmo que fazemos em Orlando? Então vamos lá!

É bom, também, comprar o ingresso com antecedência pela internet, no site da Disney Paris. Daria para comprar na hora, lá mesmo, mas as filas são grandes, em especial no verão europeu. Outra opção são as diversas empresas de turismo em Paris, mas aí o valor é mais alto.

Como chegar lá? A maneira mais fácil e menos estressante é de metrô e RER (trem). A cidade de Marne-la-Vallée é a estação final do RER linha A. Já explico melhor!

A cidade de Paris é dividida em 8 zonas de circulação de transporte público, do centro (zona 1) para o subúrbio e cidades vizinhas (zona 8). O centro de Paris, onde estão praticamente 95% das atrações turísticas da cidade, engloba as zonas 1, 2 e 3.

O metrô de Paris possui 14 linhas, identificadas por seus números (1 a 14), que cortam a cidade toda, com diversas estações integradoras (conexões), ou seja, você consegue ir a qualquer parte da cidade usando apenas o metrô! Tem 213 km de linhas, com mais de 300 estações. A distância média entre uma estação e outra é de aproximadamente 300 metros e um único preço de passagem é aplicado em todos os horários, com conexões ilimitadas. O único limite do bilhete simples é o uso por, no máximo, duas horas, se não me engano.

Uma segunda rede de 5 linhas expressas regionais, o RER (Réseau Express Régional), complementa a rede original do metrô desde a década de 1960. Dentro de Paris, é igual a um metrô, mas fora ele passa a ser um trem que conecta Paris ao subúrbio, cidades vizinhas (Versalhes, Marne-la-Vallée) e aeroportos (Charles de Gaulle). As linhas RER são identificadas com letras, de A a E.

Nós compramos o Carte Paris Visite de 5 dias para as zonas 1 a 3. Ele é um cartão vendido nos guichês do metrô que dá direito a andar em todos os meios de transporte público (metrô, RER, ônibus e funicular), por 5 dias, na área central de Paris (zonas 1 a 3). Com ele rodamos pela cidade INTEIRA usando apenas o metrô! Como a Disney Paris fica na zona 5, tivemos que comprar os bilhetes para o RER até lá.

Os parques só abrem às 10 horas, por isso, saímos do hotel às 9 e pegamos a linha 4 do metrô na estação Saint Michel, seguindo até Châtelet, estação integradora entre a linha 4 e os RER A e B. Passamos por uma série de túneis (muito bem sinalizados) até encontrarmos a plataforma do RER A, embarcamos e viajamos 40 minutos até chegarmos à estação Marne-la-Vallée. Saindo da estação, você já estará na Disney Village! Somando tudo, levamos 1 hora do hotel até a Disney! Na volta, é só fazer tudo ao contrário!

Assustados? Enrolados? Muitas linhas? Calma...em TODA estação e em TODAS as plataformas existem esquemas (mapas) das linhas, estações e conexões. Antes de embarcar, estude com calma o esquema e tenha certeza de que está indo para onde você deseja! É normal encontrar pessoas de várias nacionalidades diferentes paradas em frente aos esquemas, estudando o trajeto. Faça isso!

Outra coisa importante é que, em algumas linhas de metrô, as composições são bem antigas e as portas não abrem automaticamente, necessitando que se aperte um botão ou que se levante uma alavanca na porta para que esta se abra. O fechamento, no entanto, é sempre automático. Por isso, se estiver em dúvida, fique ao lado de alguém que vá embarcar/desembarcar junto com você, para não ficar olhando seu trem ir embora ou sua estação ficar para trás!

Muita atenção, também, na hora de embarcar no RER! Não é porque ele se desloca na direção que você deseja que ele vai parar na estação que é o seu destino! Nas plataformas existe um quadro com o nome de todas as estações daquela linha. À esquerda do nome existe um quadro branco. Se ele estiver aceso ao lado do nome da estação desejada, você pode embarcar. Se estiver apagado, ele vai passar direto, sendo assim, espere pelo próximo.

Mas vamos voltar ao que interessa, porque esse relato já está parecendo ser sobre o metrô de Paris, e não sobre a Disney Paris!

Como eu já havia dito, a estação Marne-la-Vallée tem uma saída direta para a Disney Village. Ao sair da estação, já se vê o Planet Hollywood, a World of Disney e as duas áreas de revista de bolsas e mochilas. Logo depois dessas áreas, ficam os acessos para os dois parques.

Como tínhamos os ingressos 1 Day – 2 Parks, o Walt Disney Studios fecha às 21 horas e o Disneyland fecha às 23 horas, após os fogos, decidimos ir primeiro no Studios.

A entrada do parque á uma atração à parte, já que logo após a passagem nas catracas encontramos um belo conjunto de estátuas relativas ao filme “Fantasia” e, pouco depois do pavilhão de entrada, a estátua dos “Partners”. Imaginem o engarrafamento para fotos!

Na entrada já encontramos os quiosques com os mapas dos parques em francês, espanhol e inglês. Esqueça o português! Isso só pertence a Orlando! E, já que estamos falando disso, não existe aplicativo dos parques e nem wifi gratuita! Mas isso não tira o brilho do lugar.

O Walt Disney Studios é um parque baseado no Disney Hollywood Studios de Orlando. Tem algumas atrações iguais, como o “Rock’n’Roller Coaster Starring Aerosmith” e a “Tower of Terror”, e outras não. Por mim, ótimo que essas sejam repetidas, afinal, se vamos nelas várias vezes quando estamos em Orlando, por que não repetir na França?

Existem algumas atrações exclusivas, como a “Toy Soldiers Parachute Drop” e a “Crush’s Coaster”. Outras que são um mix de atrações que já conhecemos, como o “Studio Tram Tour Behind the Magic”, que é uma mistura do “Backlot Tour” com “Disaster”, e ainda outras que também são repetidas, como a “Moteurs...Action! Stunt Show Spectacular” e “Disney Junior Live on Stage”.

Terminamos de fazer todas as atrações que desejávamos por volta de 13 horas e a única atração em que usamos o Fast Pass foi a Tower of Terror.

Almoçamos lá mesmo, no Disney Blockbuster Café, um dos cinco restaurantes do parque. Isso mesmo! Cinco! Imagino como aquilo ficaria lotado em agosto, mês das férias gerais na Europa!

Partimos para o Disneyland Park para o resto do dia. O acesso para a entrada é outro show, com um dos hotéis do resort servindo de moldura e aqueles jardins padrão Disney.

A entrada principal é parecida com a do Magic Kingdom. A estação do trem e depois uma praça, com o castelo ao final da Main Street.

As atrações, assim como no Studios, são diversificadas. Algumas iguais, algumas mistas e outras novas.

Quando saímos do Rio, a Space Mountain Mission 2, uma das melhores atrações de lá, e diferente da de Orlando, estava fechada, mas quando chegamos ao parque vimos que já estava aberta. Seguimos direto para lá, mas ela tinha acabado de ser fechada para manutenção, sem previsão de reabertura.

Um pouco frustrados, começamos a rodar e aproveitar o parque. Tem Star Tours (não troquei não, é no Disneyland mesmo), Big Thunder Mountain Railroad, Indiana Jones and The Temple of Peril (montanha-russa muito legal), Nautilus, Peter Pan’s Flight, Orbitron, Pirates of the Caribbean, Alice’s Curious Labyrinth, Blanche-Neige et Les Sept Nains, Buzz Lightyear, Small World e o Castelo da Bela Adormecida (no qual você pode entrar e passear lá por dentro), entre outras atrações.

Quando descobrimos que a Space Mountain tinha reaberto, partimos para a fila do Fast Pass, mas eles já estavam esgotados. Por isso, eu e a minha baixinha ficamos 1 hora na fila normal, enquanto a esposa dava uma volta pelo parque e tirava algumas fotos.

Valeu a pena a espera! A Space Mountain da Disney Paris é diferente da do Magic Kingdom e eu, particularmente, achei até melhor, tem 3 loopings!

Depois de rodarmos bastante, lá pelas 8 da noite começou a chover um pouco mais forte. Aliás, o dia inteiro foi nublado, mas a partir do meio da tarde ficou muito frio e chuviscava toda hora. Até os locais estavam reclamando do frio e chuva atípicos para a época, verão europeu.

Decidimos, então, ir jantar e torcer para a chuva diminuir. Encontramos diversos restaurantes já fechados e áreas inteiras do parque também fechadas. Acabamos indo ao Colonel Hathi’s Pizza Outpost, em Adventureland. Comida deliciosa e barata para o padrão europeu. Nem preciso dizer que estava lotado!

Ao sairmos do restaurante, estávamos a caminho de mais uma atração, mas aí a chuva e o frio chegaram de vez e fizeram com que o parque fosse fechado mais cedo, por volta de 21:30, sem show de fogos.

Só nos restou lamentar e pegar o caminho da estação do RER, junto com a maioria dos que lá estavam, e voltar para o hotel. Apesar da quantidade de pessoas, a saída ocorreu sem problemas, muito bem sinalizada pelo staff Disney e sem correria para pegar o RER (como às vezes vemos no monorail). Aliás, nem precisa, pois o trem é enorme!

De maneira geral, pode-se dizer o seguinte: não espere a grandiosidade, a variedade de atrações e as opções de refeições que existem em Orlando, mas vá de coração e mente abertos para se divertir muito e conhecer um lugar novo, com excelentes atrações e a qualidade Disney! Vale muito a pena!

Um detalhe interessante: para quem for a Paris, não quiser/puder ir à Disneyland Paris, mas estiver querendo algo da Disney, existe uma Disney Store na Avenida Champs Elysées, bem próxima ao Arco do Triunfo. E como a Disney parece não sair da veia aqui em casa, acabamos dando de cara com outra Disney Store no prosseguimento da viagem, em Veneza, próxima à Ponte Rialto. Pequena, mas cheia de charme e de disneymaníacos, kkk!

Grande abraço a todos e até o próximo post!

 

 

 

Comentários (0) e Compartilhar

Natal e Ano Novo por Anderson Pedreira

Publicado em 19/10/2015 às 17h18

Olá, pessoal!

Estou de volta, dessa vez para postar algo que eu planejava escrever desde janeiro deste ano, quando eu, minha esposa e a minha baixinha voltamos de Orlando, onde passamos o Natal e o Ano Novo. Desde então, o tempo foi passando, fiz outros posts e o do Natal não saía, até que a Nely Rezende pediu que alguém escrevesse sobre o tema. Aí não deu para escapar, afinal, um pedido das nossas amigas Nely Rezende eFernanda Ragazzi não pode ser negado!

Vamos, então, à experiência que vivi, passando Natal e Ano Novo em Orlando!

Em posts anteriores, falei sobre vários aspectos dessa nossa última viagem a Orlando, sobre o planejamento, o cruzeiro saindo de Miami, os hotéis, etc. Neste post vou falar sobre o que eu esperava desse período lá, a partir do que li em vários sites brasileiros e americanos, e sobre o que realmente aconteceu, além de algumas dicas para evitar perda de tempo em filas, restaurantes, etc.

Seja em que época for, Orlando faz jus ao apelido de “Terra da Magia”. No Natal e no Ano Novo esse apelido é muito mais perceptível. As cores e sons da decoração dos parques e das ruas, o clima um pouco mais frio e o brilho no olhar de cada um que passa por aqueles portais mostram que a época é diferente! É especial!

Sim, é especial...mas também é o período mais cheio! Cheio não...lotado!!! Parques, outlets, atrações da International Drive (Ripley´s, Titanic, Wonderworks, etc), mercados, postos de gasolina, farmácias...imagine um lugar e, entre os dias 20 de dezembro e 05 de janeiro, ele estará muito mais cheio que o normal!

Para dar apenas um exemplo, fomos ao Magic Kingdom (MK) no dia 26/12, chegando lá às 15 horas, e tivemos que estacionar no Epcot e pegar o Monorail para chegar ao MK, pois o estacionamento do MK estava completamente lotado! E o estacionamento não é pequeno, muito pelo contrário!

Especificamente nos dias 24 e 31 de dezembro, se você não fez reserva pelo My Disney Experience em um dos restaurantes com serviço de mesa do MK ou do EPCOT (Be Our Guest, Cinderella’s Royal Table, Crystal Palace, Akershus, Garden Grill, Biergarten, Les Cellier, Les Chefs de France, etc), nem perca tempo tentando uma mesa e vá direto para os Quick Service!

Sendo MUITO sincero, acho que se deve evitar ir pela primeira vez nesse período, já que, devido à superlotação, não se conseguirá aproveitar tudo que os parques e a cidade oferecem e poderá acabar a viagem frustrado.

Sendo SUPER sincero...se essa for aquela viagem dos sonhos, que não se repetirá nunca mais, se estiver fazendo essa viagem apenas uma vez, se não puder ir novamente... não vá nessa época! Dê preferência a outros períodos, inclusive julho, para aproveitar melhor o que Orlando oferece. A não ser, óbvio, que passar Natal e Ano Novo na Terra da Magia esteja dentro do pacote do sonho de viagem...nesse caso, planeje, relaxe e aproveite!

No entanto, nada disso é motivo para não ir, pelo menos para quem planejar com antecedência cada dia que tiver lá. Para efeito de planejamento, é bom lembrar também que, além de mais cheio, também é o período mais caro do ano!

Depois que se decide onde se hospedar, passagem e quando ir, o aspecto que acho que seja o mais importante é o planejamento do que se vai fazer em cada dia da viagem. Durante Natal e Ano Novo, esse aspecto cresce muito de importância, em virtude de onde se pretende passar esses dias especiais e da correta utilização dos FastPass Disney.

Para decidir onde passaríamos o Natal e o Ano Novo, li diversos sites e blogs nacionais e estrangeiros sobre o assunto, e depois de pesquisar muito, decidimos passar o Natal no Magic Kingdom e o Ano Novo no EPCOT.

A partir daí, começamos o planejamento de cada dia que teríamos na Terra da Magia. Escolhemos quando iríamos a qual parque e quando faríamos compras, além de um dia para fazer o que desse na telha.

Chegamos a Orlando dia 21/12 e, nesse dia, ficamos no entorno do Rosen Inn At Pointe Hotel, já que saímos de Miami e encaramos a viagem de 3,5 horas debaixo de muita chuva e trânsito pesado. Aproveitamos para conhecer o Pointe Orlando, provar (e aprovar) o Pizza Hut que existe ao lado do Rosen Inn, abastecer o frigobar e descansar um pouco para o “ironman” que teríamos pela frente, já que a maratona já havíamos feito antes, no cruzeiro e em Miami.

No dia 22, uma segunda, fomos às compras. Dizem que brasileiros deixam as compras de Natal para a última hora, mas constatei que americanos também...chegamos com o Florida Mall abrindo e, assim, “ticamos” quase toda a lista na parte da manhã. Já havíamos adiantado bastante essa parte em Miami, o que facilitou muito nossa vida. Vimos que o Mall estava começando a encher e, por isso, fomos almoçar no Bucca di Beppo na hora certa! Entramos com várias mesas livres e, dez minutos depois, já havia fila de espera!

Quando saímos do restaurante (excelente comida, por sinal), parecia que o inferno havia se materializado dentro do Florida Mall! Imagine um lugar cheio...multiplique... potencialize por 10...agora você está próximo da imagem que tivemos! Estava completamente lotado!!! Todos os corredores, todas as lojas, praça de alimentação, tudo lotado! Ainda ficamos lá mais por mais duas horas e depois partimos para o WalMart (também bem cheio) e Walgreen’s, seguido por mais uma passada pelo Pizza Hut (ok, ok, somos viciados em pizza, admito).

Saboreando uma deliciosa pizza de brownie, pensei que se o Florida Mall estava daquele jeito, imagine como estariam os Premium Outlets...

Na terça, 23, fomos ao Disney Hollywood Studios (DHS). Chegamos bem cedo, com o parque abrindo, e assim aproveitamos muito o dia! Usamos os fastpass reservados 30 dias antes até as 13 horas, com isso, nos intervalos entre fastpass, fomos a outras atrações com fila normal. Depois que usamos todos os fastpass, conseguimos pegar mais três, nos quiosques! Atrações menos procuradas, mas valeu mesmo assim.

No DHS nós compramos as Magic Bands e a atendente fez o link com os nossos ingressos, com o My Disney Experience e com o Photo Pass, facilitando muito a nossa vida.

Por volta das onze horas o parque ficou cheio, permanecendo assim até a hora de fechar, por isso é importante chegar cedo! Também vi muitas filas nos restaurantes. Como fizemos reserva para o almoço no Fantasmic Dinner Package, ficamos tranquilos quanto a isso. Essa experiência foi realmente muito boa. Já que teríamos que almoçar mesmo, resolvemos incluir na refeição o lugar na área VIP da arquibancada do Fantasmic, aquela área central, bem de frente para o centro do show. Fizemos a reserva em agosto e escolhemos o Mama Melrose’s, um excelente restaurante italiano no qual fomos muito bem atendidos. Isso nos poupou tempo, já que não precisamos chegar cedo para garantir um bom lugar e pudemos continuar rodando pelas atrações do parque.

Aproveitamos o resto da tarde/noite e seguimos para o Fantasmic, em minha opinião um dos dois shows que melhor representam a Disney, junto do Wishes, no MK. Após o show, fomos ver o The Osborne Family Spectacle of Dancing Lights! Muito legal! Retornamos para o hotel, mas antes de chegar ao carro ainda tivemos que encarar a fila do "tram"... muito cheia!

Eis que chega o dia 24/12! O Magic Kingdom era nosso destino! Chegamos bem cedo no Ticket and Transportation Center (TTC), estacionamos o carro e fomos para a estação do monorail, que às 0730 já estava bem cheia. Tão cheia que só conseguimos embarcar na segunda viagem!

O Magic Kingdom é o parque que mais enche no Natal e Ano Novo, chegando a fechar o acesso por algumas horas, quando a lotação máxima é atingida, mesmo que você apresente o ingresso. Tem diversas paradas e shows diferentes dos dias normais, que são repetidos diversas vezes ao dia. Restaurantes lotados e filas grandes, algumas com mais de 3 horas (Space Mountain, Saven Dwarfs Mine Train, encontros com as princesas, Big Thunder Mountain Railroad)!

Mais uma vez ressalto a importância de escolher bem quais atrações e quais horários dos fastpass! Usamos todos até as 14 horas e depois conseguimos pegar mais quatro! E isso no Natal, quando o parque está lotado! Não espere, no entanto, conseguir Space Mountain e Seven Dwarf’s Mine Train, mas vá se divertir na Haunted Mansion e na Pirates of the Caribbean!

Como acordamos e chegamos cedo, a fome também bateu cedo, mas isso é bom! Faz com que você procure um lugar para comer lá pelas 11, 1130, o que evitará a multidão que lota os restaurantes após o meio-dia. Almoçamos no Golden Oak Outpost, em Frontierland. Comida simples, sem muitas opções, mas gostosa.

O que estava cheio na parte da manhã, à tarde ficou lotado! Vi pessoas reclamando porque não estavam conseguindo nem ver o parque direito, quanto mais aproveitar as atrações. Esse é um ponto negativo do Natal no MK. Realmente fica muito cheio! Para quem vai pela primeira vez pode ser frustrante, atá por causa da inexperiência no planejamento.

Curtimos nossa tarde rodando e indo nas atrações que desejamos até que, por volta de 17 horas, bateu um cansaço absurdo e começou a chover! O que fazer??? Resposta óbvia para quem já foi no MK! Era hora de Carousel Of Progress!!! Depois de um descanso de 20 minutos, saímos de lá um pouco mais inteiros e a chuva já tinha passado.

Rodamos um pouco mais, até que chegou a hora do nosso jantar com personagens no The Crystal Palace, reservado para as 20 horas. Juntamos várias vantagens numa atividade só: teríamos nossa Ceia de Natal em um excelente buffet, encontraríamos alguns personagens da Turma do Pooh, não nos estressaríamos procurando um local para comer em meio à multidão, descansaríamos um pouco e poderíamos ver o Wishes das 20 horas com tranquilidade, apesar de não ser o melhor local para isso.

A reserva para o Crystal Palace foi feita em julho e os horários já eram poucos! A reserva abre 180 dias antes da data desejada e acaba rápido para esta época.

O Wishes de Natal é apresentado duas vezes, às 20 horas e às 2345. Por falar em Wishes, chegue muito cedo ao local de onde você deseja assistir ao show, senão vai ter que se contentar em pegar o que sobrar.

Após o Wishes, nos dirigimos para a saída do parque, mas acho que vale a pena ficar mais um pouco e aproveitar até o final...mas tem que ter gás! Obviamente, o monorail estava lotado e havia engarrafamento para sair do estacionamento, mas nada que ofuscasse o brilho no olhar da minha baixinha! Isso apaga qualquer cansaço, qualquer mau humor...

No dia 25 fomos novamente para o DHS, o parque Disney preferido da baixinha. Novamente chegamos bem cedo e tivemos um ótimo dia! Pelos sites especializados, é o melhor parque para ir no dia 25, pois esse é o dia em que os americanos realmente comemoram o Natal, fazendo com que os locais não compareçam em tão grande número e prefiram o MK ou o EPCOT.

Saímos do DHS por volta das 15 horas e fomos direto para Downtown Disney. Rodamos bastante, apesar da lotação. Restaurantes cheios, filas de espera em todos eles, lojas lotadas, estava difícil até de se locomover sem se separar! Mas estava ótimo como sempre, era só ter paciência.

Lá, na World of Disney, minha filha encontrou um pingente do chapéu do feiticeiro do DHS, que seria retirado em janeiro, apenas alguns dias depois. Era a última peça daquele modelo. Eu não sabia disso e apressei a turma, pois já estava na hora da nossa reserva no T-Rex. Como as filas da loja estavam muito grandes, minha filha deixou a peça lá, esperando encontrá-la depois do jantar. Vã ilusão!

Como considerei que a responsabilidade por ela não ter comprado o pingente era minha, praticamente mergulhei numa mesa ENORME, lotada de pingentes de um milhão de modelos. Estava tão focado que uma cast member se aproximou e perguntou o que eu estava procurando. Quando respondi, ela me disse que era impossível eu ter visto a peça lá, porque com a retirada do chapéu do DHS, a corrida por aquele modelo de pingente foi absurda e os próprios cast members não estavam conseguindo achar.

Inconformado, continuei procurando e falando com a cast member em inglês, ela também procurando, até que minha filha, triste por ter perdido o pingente, nos perguntou: “por que vocês estão falando inglês se os dois são brasileiros?”. Olhei para a cast member, ela olhou para mim, e só nesse momento vi a bandeira do Brasil na identificação dela. Caímos na gargalhada, o que serviu para amenizar um pouco a situação, mas realmente não achamos nada. Pedi desculpas à baixinha e seguimos em frente, não sem antes ouvir da cast member que se nós encontrássemos o pingente do chapéu em algum lugar, não deixássemos de levar imediatamente!

Dali voltamos para o hotel para descansar um pouco, mas antes demos aquela passadinha básica no Pizza Hut (já falei que somos viciados em pizza?).

No dia 26 nós acordamos um pouquinho mais tarde, já que tiramos a maior parte do dia para rodar pelas atrações da International Drive. Fomos à exposição do Titanic e ao Ripley’s Believe It or Not. Essas foram as atrações mais tranquilas que encontramos, considerando que nessa época, no ano passado, a Orlando Eye ainda não estava aberta.

Almoçamos no Olive Garden e, por volta de 15 horas, partimos para o MK. Já sabíamos que iríamos encontrar o parque cheio, mas não esperávamos dar de cara com um estacionamento lotado e fechado! Os avisos estavam em letreiros luminosos pelo caminho e os cast members já estavam encaminhando todos para o estacionamento do EPCOT. De lá, pegamos o monorail para o TTC, de onde faríamos a conexão para o MK. Como a fila estava muito cheia, decidimos ir de barco, que demora só um pouquinho mais, mas dá uma emoção diferente, já que você vê o castelo se aproximando aos poucos.

Chegamos ao MK e fizemos apenas as atrações do Fastpass. Aproveitamos para tirar mais algumas fotos, curtimos um pouco mais o parque e nos posicionamos para assistir a Elsa acendendo o castelo e para mais um Wishes!

Apesar do estacionamento estar fechado, não achei o parque tão cheio quanto no dia 24, mas ainda assim estava bem cheio e as filas estavam bem longas.

No dia 27 pela manhã fizemos o check out no Rosen Inn At Pointe e seguimos para o Universal’s Loews Royal Pacific Resort, um dos três hotéis de luxo do complexo Universal. Ele fica na 6300, Hollywood Way. Os outros são o Hard Rock e o Loews Portofino Bay. Como hotéis de luxo, são bem mais caros.

Como viajamos na época do Natal e Ano Novo, a mais cheia do ano inteiro, e como não queríamos perder muito tempo em filas, decidimos pesquisar o valor do Express Pass da Universal, equivalente ao Fast Pass Disney.

Diferente do Disney Fast Pass, o Universal Express Pass é pago por fora do ingresso e não tem hora marcada. Outra desvantagem é que ele não vale para as atrações das áreas da franquia Harry Potter.

O valor do Universal Express Pass varia com a época do ano. O período do Natal e Ano Novo é o mais caro, a 100 dólares por pessoa, por dia e por parque! Ou seja, como fomos em 3 pessoas e passaríamos 3 dias no complexo Universal, além do ingresso, teríamos que pagar mais 300 dólares por dia, o que daria 900 dólares. Isso se pegássemos o Express Pass para apenas um parque por dia! Se quiséssemos para os dois parques, seriam 1800 dólares!

Ao pesquisar alguns sites especializados, vi que o Express Pass é gratuito para os hóspedes dos hotéis de luxo da Universal e que, além dessa vantagem, os hóspedes também têm acesso às áreas Harry Potter (Wizarding World of Harry Potter, no Islands of Adventure, e Diagon Alley, no Universal Studios) uma hora antes do horário previsto para a abertura do parque ao público, o que minimiza o fato do Express Pass não valer para essas áreas.

Feitas as contas, vi que se ficássemos duas diárias no Royal Pacific a conta seria muito mais barata. Valeria muito a pena, também, pois o hotel é muito próximo ao complexo e tem transporte por barco até a CityWalk, além de caminhos muito bem cuidados que chegam na CityWalk exatamente entre a ponte de acesso ao Islands of Adventure e o Jimmy Buffett’s Margaritaville (aquele em frente ao avião).

Outro ponto forte é que você pode utilizar o Express Pass desde a manhã do dia em que fizer o check in, até o fechamento dos parques no dia em que fizer o check out. No dia da entrada, chegue pela manhã que o hotel guarda suas malas até que você retorne do parque para ocupar o quarto. No dia da saída, você faz o check out e o hotel guarda suas malas até o momento em que o parque fechar. Ou seja, eles dão plenas condições para que o benefício do Express Pass seja muito bem aproveitado.

Chegamos ao Royal Pacific às 9 horas e fizemos o check in, que na verdade seria, na prática, a partir de 15 horas. Com isso pudemos ir até os quiosques para confecção do Express Pass e aproveitar os parques, nas filas do Express Pass, a partir de 10 horas. Por volta de 13 horas, quando estávamos almoçando no Bubba Gump Shrimp, recebemos uma ligação do Royal Pacific dizendo que nosso quarto já estava liberado para ocupação assim que retornássemos. Achei esse serviço muito eficiente.

Curtimos o complexo Universal de 27 até 29 de dezembro. Aqui em casa, os parques Universal são os preferidos! Me perdoem os que pensam diferente, mas é nossa opinião! Nos divertimos muito mais na Universal que na Disney!

Foram três dias intensos, nos quais o Express Pass foi um enorme aliado para fugir das filas que chegavam a 4 horas em algumas atrações! Mesmo com o Express Pass, chegamos a esperar 30 minutos para ir na Despicable Me - Minion Mayhem (Meu Malvado Favorito), enquanto que a fila normal era de 3,5 horas. A abertura mais cedo para os hóspedes também ajudou muito a curtir as áreas Harry Potter dos dois parques, mas tem que chegar com parque abrindo, ou seja, atravessar o portão às sete da manhã!

Quando pesquisei sobre Natal e Ano Novo em Orlando, vi que uma das melhores festas de Ano Novo na cidade era a do Citywalk, porém menores de 21 anos não são aceitos! DJs, comida liberada e muita festa!

No dia 29 à noite retornamos para o Rosen Inn At Pointe. Ressalto que fizemos o check out no Royal Pacific às 10 da manhã, mas pudemos aproveitar o Express Pass até o fechamento do parque, às 23 horas!

O dia 30 estava livre para acordar um pouco mais tarde e ficarmos à vontade, rodando por onde e quando tivéssemos vontade. Não conseguimos dormir até muito tarde porque uma criaturinha (brasileiro, por sinal) resolveu ver o que acontece quando o alarme de incêndio é acionado...imaginem o pandemônio! Mas já falei sobre isso no post sobre os hotéis.

Como já tínhamos acordado, resolvemos começar logo o dia. Fomos à CVS, abastecemos o carro e seguimos para a Best Buy. Todos esses locais estavam bem mais cheios que o normal, mas nada desesperador. Demos uma passada na Wonderworks e terminamos o dia no Pointe Orlando.

E chegou o dia 31 de dezembro! Dia de acordar cedo e partir para o EPCOT, para ficar até depois da meia-noite!

O EPCOT tem a segunda maior lotação entre os parques Disney no período. É realmente fantástico, mas as filas para as melhores atrações são gigantescas. Com o passar do dia elas vão aumentando e, às 20 horas do dia 31 de dezembro, a fila para o Test Track era de 4 horas e a do Soarin de 3,5 horas.

Mais uma vez usamos os Fastpass até 13 horas, indo a outras atrações nos intervalos, e deixamos a tarde/noite para rodar com tranquilidade pelo World Showcase.

Como o tempo estava chuvoso, nosso esquema de almoçar cedo não deu certo, porque todos foram para áreas cobertas, inclusive restaurantes, para fugir da água e do frio. Com isso, foi um pouco mais difícil encontrar um lugar, mas acabamos achando o Yorkshire County Fish Shop, no pavilhão da Inglaterra, que tem um delicioso fish’n chips (não supera o do Leaky Cauldron, na Diagon Alley, mas é muito bom!).

Existem vários DJs espalhados pelo World Showcase, principalmente nos pavilhões da Inglaterra, Itália, China e EUA. Achei a festa do pavilhão da Itália a mais animada. Os horários e os locais estão no guia do parque.

Às 1830 horas fomos jantar no Akershus, no pavilhão da Noruega. Fiz a reserva em julho, 180 dias antes do evento. Mais uma vez juntamos algumas coisas: deliciosa ceia de Reveillón, encontro e fotos com as princesas Disney e oportunidade para descansar depois de 12 horas no parque! E o sorrisão no rosto da turma...sensacional!!

No dia 31, o Illuminations também é apresentado duas vezes, às 20 e 2345, e é um pouco diferente do resto do ano. Depois que anoitece a contagem regressiva é projetada na Spaceship Earth (a “bola” característica do EPCOT), possibilitando fotos muito legais.

Como a chuva estava intermitente e não sabíamos se isso poderia afetar os fogos, como vários cast members estavam comentando, apreensivos, devido ao mau tempo, decidimos ver os dois horários. Isso aconteceu conosco na Disney Paris, em julho deste ano, quando os fogos foram cancelados!

Por causa do frio e da chuva, decidi entrar numa das diversas lojas e ver se encontrava um casaco melhor. Enquanto procurava, vi algo que me chamou a atenção: uma mesa ENORME lotada de pingentes!!! Lembram-se do pingente do chapéu do DHS que eu não deixei minha filha comprar e que não encontramos mais? Depois daquilo procuramos em diversas outras lojas, sem sucesso, inclusive naquele mesmo dia, no EPCOT! Pois é...a culpa falou alto e parti feroz para a tal da mesa, esquecendo completamente do casaco e do frio. E fomos recompensados não com um, mas DEZ pingentes do chapéu! Na hora agarramos todos e partimos para o caixa, sorrindo e incrédulos! Na fila, pelo menos 3 meninas nos perguntaram aonde tínhamos encontrado aqueles pingentes e a própria caixa ficou surpresa ao vê-los! Desistir? Jamais!!!

Os fogos foram um espetáculo! A mensagem de Ano Novo e o show em si! Se estiver lá, assista os dois Illuminations! Valem a pena a espera e o cansaço! A diferença é que no segundo existe a contagem regressiva para a meia-noite. E chegue cedo para garantir seu lugar!

No EPCOT, assim como em todos os parques, inclusive Universal, quem estiver nas filas das atrações no momento em que o parque fecha oficialmente, poderá aguardar e passar pela atração, no entanto, ninguém mais será admitido nas filas! Digo isso porque às 23 horas tinha gente nas filas e o horário de fechamento era uma da manhã. Esse pessoal esperou até quase 3 da manhã na fila para passar na atração, mas passou! Quem tentou entrar depois de 1 hora, não conseguiu.

Isso me lembrou de mais algumas dicas:

- Se for alugar armário ou carrinho de bebê, faça isso logo que chegar ao parque, pois eles esgotam! Deixe no armário casacos (esfria, à noite) e capas de chuva.

- Não deixe de levar/comprar baterias portáteis para carregar seus celulares e câmeras. Com certeza, a bateria vai acabar antes da meia-noite ou, na melhor das hipóteses, no meio dos fogos!

- Não se esqueça de anotar e fotografar seu local de estacionamento!

- Pegue o mapa do parque e a programação do dia assim que entrar no parque e se programe para as diversas paradas e eventos especiais do dia!

Terminamos o dia destruídos, molhados e muito felizes. Já era dia 1 de janeiro de 2015!

Levamos quase 40 minutos para sair do estacionamento. No meio do engarrafamento, vi, novamente, aquele brilho no olhar da esposa e da baixinha e concluí que, realmente, valeu o sacrifício! Gostei tanto daquele olhar que, ao virar pra trás para vê-lo novamente na minha filhota, ela já dormia sorrindo, feliz! Não vi o olhar, mas o sorriso me disse tudo...

Espero ter ajudado e um grande abraço para todos!

Comentários (0) e Compartilhar

left show tsN fwB|left tsN fwR fsN|left show fwR|b01 bsd c10|||news login fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR c10|b01 c05 bsd|login news c05|tsN normalcase fwR c05|b01 normalcase c05 bsd|content-inner||